Espaços Ave A.C.E. | Segurança e Saúde no Trabalho Slot
A Espaços Ave A.C.E. intervém nas áreas de contabilidade e consultoria. Presente mas áreas de Construção Civil e Imobiliário, Ambiente e Metalomecânica.
contabilidade, consultoria, construção, civil, imobiliário, ambiente, metalomecânica, Famalicão, amianto,
22412
page-template-default,page,page-id-22412,ajax_fade,page_not_loaded,,select-child-theme-ver-1.0.0,select-theme-ver-4.6,fs-menu-animation-line-through,popup-menu-text-from-top,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.5,vc_responsive

A Empresa Espaço Ave, A.C.E. desenvolve a sua atividade na prestação de serviços externos de Segurança Trabalho. Todos os serviços são assegurados por Técnicos Superiores de Segurança no Trabalho.

Os nossos serviços têm como objectivo promover a melhoria das condições de trabalho, prevenindo, deste modo, os acidentes de trabalho e doenças profissionais. Assim, tendo por base o artigo 73º B da Lei n.º 3/2014 de 28 de Janeiro serão tomadas as medidas necessárias para alcançar este objectivo, nomeadamente através das seguintes actividades:

a) Planear a prevenção, integrando, a todos os níveis e para o conjunto das atividades da empresa, a avaliação dos riscos e as respetivas medidas de prevenção;

b) Proceder à avaliação dos riscos, elaborando os respetivos relatórios;

c) Elaborar o plano de prevenção de riscos profissionais, bem como planos detalhados de prevenção e proteção exigidos por legislação específica;

d) Participar na elaboração do plano de emergência interno, incluindo os planos específicos de combate a incêndios, evacuação de instalações e primeiros socorros;

e) Colaborar na conceção de locais, métodos e organização do trabalho, bem como na escolha e na manutenção de equipamentos de trabalho;

f) Supervisionar o aprovisionamento, a validade e a conservação dos equipamentos de proteção individual, bem como a instalação e a manutenção da sinalização de segurança;

g) Coordenar as medidas a adotar em caso de perigo grave e iminente;

h) Vigiar as condições de trabalho de trabalhadores em situações mais vulneráveis;

i) Conceber e desenvolver o programa de informação para a promoção da segurança e saúde no trabalho, promovendo a integração das medidas de prevenção nos sistemas de informação e comunicação da empresa;

j) Conceber e desenvolver o programa de formação para a promoção da segurança e saúde no trabalho;

k) Apoiar as atividades de informação e consulta dos representantes dos trabalhadores para a segurança e saúde no trabalho ou, na sua falta, dos próprios trabalhadores;

l) Assegurar ou acompanhar a execução das medidas de prevenção, promovendo a sua eficiência e operacionalidade;

m) Organizar os elementos necessários às notificações obrigatórias;

n) Elaborar as participações obrigatórias em caso de acidente de trabalho ou doença profissional;

o) Coordenar ou acompanhar auditorias e inspeções internas;

p) Analisar as causas de acidentes de trabalho ou da ocorrência de doenças profissionais, elaborando os respetivos relatórios;

q) Recolher e organizar elementos estatísticos relativos à segurança e à saúde no trabalho.

Como fazemos a gestão dos riscos da sua actividade?

A gestão da SST passa por identificar os riscos associados ao local de trabalho, instalações e ao desenvolvimento da sua actividade, isto é, as situações que possam causar dano a si, aos seus trabalhadores e a terceiros e decidir se está, ou não, a fazer o suficiente para prevenir a sua ocorrência. Uma avaliação de riscos consiste, fundamentalmente, em identificar, face às situações existentes, as necessárias medidas para controlar a ocorrência de danos para a SST.

Provavelmente, já estará a implementar algumas medidas neste sentido. Contudo, a gestão do risco permitir-lhe-á descobrir se deverá fazer mais e, se for caso disso, como o deverá fazer.

A contribuição dos trabalhadores acerca da identificação dos perigos associados ao local de trabalho, instalações e actividade é essencial, visto a percepção destes ser significativa, face às principais questões que se colocam nos locais de trabalho, podendo estes, inclusivamente, sugerir formas de controlo dos riscos que sejam úteis e eficazes.

A avaliação deverá concentrar-se nos riscos reais, isto é, naqueles cuja probabilidade de causar dano seja maior.

Posteriormente à aferição da eficácia das medidas de controlo, já implementadas, equacionar-se-á a necessidade de implementar novas e mais adequadas medidas. Todo este processo terá que ser registado, e documentado, de forma a que o controlo seja o mais eficaz possível.